top of page
  • Foto do escritorRaquel Lhullier

Enfrentar e prevenir para além da sobrevivência




Como você compreende o bullying? Um tema nada novo, que muitas vezes pode ser mal compreendido ou banalizado. Vamos pensar sobre sua definição: Atitudes agressivas, repetitivas, executadas dentro de uma relação desigual de poder causando dor, angústia e humilhação.


Já escutei muitas vezes frases como “isso tudo é exagero”, “na minha época não se falava nisso” ou “eu sobrevivi”. A questão em pauta vai além de uma sobrevivência, pois a ciência avançou muito nos últimos anos e já sabemos dos efeitos no cérebro, especialmente quando pensamos nas crianças, de alterações no sistema límbico e funções executivas diante de forte pressão, stress e negligências por exemplo.


Novas gerações nos lançam para novos desafios e precisamos aproveitar os novos entendimentos que a neurociência nos apresenta. Faço um convite para você leitor, para que quando pensarmos sobre bullying é importante que tenhamos um olhar mais amplo além de crenças prévias ou experiências pessoais, que se encaminham para uma questão de saúde mental, inclusão e empatia.


Infelizmente sofrer em silêncio ainda é frequente e precisamos quebrar essa barreira com as crianças e jovens. Quem sofre bullying muitas vezes possui uma falsa crença de que estará poupando seus cuidadores de algum tipo de decepção ou que com o silêncio é possível evitar retaliações.


Se você convive com crianças e adolescentes, esteja atento.  Assim como a febre sinaliza algo clínico, a alteração no comportamento pode indicar sintomas de sofrimento. Alguns sinais de quem pode estar sofrendo bullying são:


Mudanças no comportamento (a criança pode estar mais quieta), dificuldades de aprendizagem (baixa autoestima e autoconfiança), desinteresse em ir a escola, sintomas de fobia social ou abandono dos estudos, lesões físicas, mudanças repentinas de humor (explosões, desatenção) e isolamento social.


Em uma brincadeira todos estão se divertindo, quando há sofrimento, não há brincadeira.


Publicado no Diário Popular Janeiro 2024 Pelotas RS


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page